Notícia

Demanda

quinta, 07 de novembro de 2019
ALESC VAI CRIAR FRENTE PARLAMENTAR PARA NOVA ROTA DO MILHO

O Fórum debaterá toda a cadeia produtiva, com palestras, rodadas de negócios e a instalação da Frente Parlamentar em Favor da Nova Rota do Milho

 

Imagem: Dan Klinibing / Portal Tri

Lideranças empresariais e políticas do Brasil, Argentina e Paraguai se reunirão, em Chapecó, de 11 a 14 de novembro, para participar do Fórum Internacional Agro Sem Fronteiras.

O Fórum debaterá toda a cadeia produtiva, com palestras, rodadas de negócios e a instalação da Frente Parlamentar em Favor da Nova Rota do Milho, da Assembleia Legislativa de Santa Catarina- Alesc.

Proposta pelo deputado estadual Marcos Vieira, a Frente Parlamentar reunirá parlamentares catarinenses, e também contará com o apoio dos parlamentares da Argentina do Paraguai.

“E um evento importante para Santa Catarina e especialmente para o Grande Oeste, pois vamos reunir todos os interessados em um assunto que promete ser um novo ciclo de desenvolvimento para nosso Estado, já que vai influenciar todos os processos que envolvem o milho para consumo animal”, disse o deputado.

O Fórum é promovido pelo Bloco Regional de Intendentes, Prefeitos, Alcaldes – BRIPAEM, empresários do Mercosul e pelo fórum de competitividade e desenvolvimento da Região Oeste de Santa Catarina.

O evento contará com a presença da Ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

A intenção da criação da Frente Parlamentar é agilizar e fortalecer os entendimentos para a importação do milho consumido em Santa Catarina, que virá do Paraguai, passando por balsas pela Argentina e entrando via terrestre, por Dionísio Cerqueira, e abastecer todo o Estado.

Essa rota encurta, significativamente, a distância hoje percorrida, que traz o produto do Centro Oeste brasileiro, via terrestre, o que acaba gerando custos para a agroindústria.

Com a nova rota, esse valor será reduzido e vai beneficiar todo o mercado, inclusive para o consumidor final.

Santa Catarina é o maior importador de milho do País e adquire, por ano, mais de três milhões de toneladas do cereal, dos estados do Mato Grosso, Goiás e Mato Grosso do Sul.

A criação da Nova Rota do Milho ganhou força a partir de 2017, quando em Encarnacion, no Paraguai, foi realizado o encontro “Conexão Transfronteiriça”, que firmou um documento de intenções entre os três países.

“Mas antes disso, estávamos estudando a Nova Rota do Milho há mais de um ano, para que essa alternativa pudesse ser criada”, explicou Marcos Vieira.

Fonte: Ascom Marcos Vieira