Notícia

Juros

quinta, 18 de junho de 2020
SELIC É REDUZIDA A 2,25% AO ANO

O País possui agora o 14º juro real mais baixo do mundo, considerando as 40 economias mais relevantes

 

Fonte: Por Estadão Conteúdo / Diário do Comércio

Foto: Imagem ilustrativa

 

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) decidiu, na noite desta quarta-feira, 17 de junho, por unanimidade, reduzir a Selic (a taxa básica da economia) em 0,75 ponto porcentual, de 3,00% para 2,25% ao ano.

Este é o oitavo corte consecutivo da taxa no atual ciclo, após período de 16 meses de estabilidade.

Com isso, a Selic está agora em um novo piso da série histórica do Copom, iniciada em junho de 1996.

Em função do corte, o Brasil também passou a registrar juro real (descontada a inflação) negativo.

Cálculos do site MoneYou e da Infinity Asset Management indicam que, com a Selic a 2,25%, o juro real brasileiro passou a ser de -0,78% ao ano.

O País possui agora o 14º juro real mais baixo do mundo, considerando as 40 economias mais relevantes.

O corte desta quarta da Selic era esperado pela maioria dos economistas do mercado financeiro.

Isso porque, com a pandemia do novo coronavírus, a atividade econômica despencou no Brasil, assim como a inflação. A avaliação era de que o BC seria levado a reduzir novamente a Selic para estimular a economia.

Para o presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Alfredo Cotait, o Banco Central agiu de maneira correta e esperada diante do momento atual, bastante impactado pela crise provocada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

“Com o cenário da economia, que já era de dificuldade, se agravando muito com a pandemia, e os dados de inflação, que têm mostrado queda, já havia a expectativa de redução. Isso tudo justifica o corte que foi feito”, analisou Cotait.

Para o presidente da ACSP, se o cenário se mantiver, com a economia fraca, a inflação próxima a zero e o aumento no desemprego, é possível que o Banco Central faça novos cortes no futuro.

Fonte: Diário do Comércio