Notícia

Inovação

terça, 23 de junho de 2020
TRANSFORMAÇÃO DIGITAL NA LOGÍSTICA É UM CAMINHO SEM VOLTA, DIZEM ESPECIALISTAS

Tema foi pauta de webinar, que debateu o avanço da tecnologia, durante a pandemia de Covid-19, na cadeia de suprimentos dos setores varejista e de e-commerce

 

Fonte: portogente.com.br

Foto: imagem ilustrativa (reprodução: portogente.com.br)

 

Digitalização é a palavra de ordem da atualidade.

Há algum tempo, discute-se o avanço da tecnologia na indústria e nos mais distintos setores econômicos globais, assim como os benefícios que as inovações tendem a trazer para eles e para seus respectivos consumidores ao redor do mundo.

Mas, ao contrário de tudo o que já foi visto até hoje, nunca na história houve um avanço tão significativo em termos de tecnologia em tão pouco tempo, inclusive na cadeia de suprimentos dos setores varejista e de e-commerce.

É o que acreditam especialistas e executivos destes segmentos que participaram do novo webinar sobre "Digitalização da Cadeia de Suprimentos", na quinta-feira, 18, promovido pela Associação Brasileira de Logística - Abralog e pela Informa Markets, organizadora da Intermodal South America - com o objetivo de debater os maiores desafios e oportunidades gerados por este processo nestes mercados.

Para eles, a pandemia do novo coronavírus acelerou o processo de transformação digital da cadeia de suprimentos global de uma forma avassaladora.

"Na minha opinião, o processo de digitalização não começou agora, pelo contrário, ele vem ocorrendo há décadas. No entanto, antes as pessoas e empresas poderiam optar por serem digitais ou não. Agora não, com a pandemia ninguém teve escolha: ou se adequava ou ficava para trás. Não apenas na relação com grandes empresas, mas com pequenos e médios empresários também. É como diz a clássica frase de Platão: 'A necessidade é a mãe da inovação'. Quem não se adaptou está sofrendo muito mais do que os outros, pois o processo de aceleração da transformação digital foi brutal", disse o cofundador da Associate Dean Business Administration Professional Masters do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper), Silvio Laban.

Quem também participou do encontro foi o diretor de supply chain do Carrefour, Marcelo Lopes. Para ele, a velocidade com que a digitalização ocorreu na cadeia de suprimentos foi tão grande que a sensação é que se está vivendo três anos em apenas três meses.

"De fato, a digitalização vem ocorrendo há muito tempo, mas com a pandemia isso se intensificou e se tornou obrigatório. As empresas que não se adaptarem, fatalmente, irão morrer. E, se olharmos para trás, para outros momentos históricos, como a greve dos caminhoneiros, por exemplo, veremos que nada trouxe tanta correria para se obter soluções digitais e uma busca tão intensa por itens básicos para a população como essa crise de coronavírus. Os consumidores que já adquiram os produtos de forma online passaram a fazê-lo ainda mais e os que não, passaram a comprar também por conta da necessidade", afirmou.]

 

Perspectivas

Para o diretor executivo de integração e de inovações de supply chain para a América Latina da Natura&Co, Nestor Felpi, inclusive, este é um caminho sem volta.

"As mudanças que foram implementadas não voltam atrás. Pelo contrário, o que vai mudar são os hábitos e a forma de consumo. Os clientes devem começar a usar, cada vez mais, o e-commerce e as empresas devem passar a apostar mais nisso. E não apenas investir, mas entender também que os consumidores irão querer praticidade e facilidade. Teremos que buscar maneiras de chegar aos clientes de modo simples e direto", ressaltou.

Felpi acrescentou ainda que, tão importante quanto o que pontuou acima, é promover o engajamento dos profissionais e executivos que estão à frente dos negócios.

"É fundamental ter o comprometimento de todos. Não se digitaliza uma empresa se os profissionais e, principalmente, a liderança da mesma não estiverem caminhando no mesmo sentido. É necessário que todos estejam engajados com as mudanças. Se não for assim, não funciona."

O COO Brazil da Privalia, Francisco Tarosso, complementou.

"Todos os pontos abordados convergem entre si e com as dificuldades que teremos pela frente. Mas nossa missão principal agora, como supply chain, é muito maior. Temos que estruturar o mercado de acordo com as demandas e necessidades que irão surgir, buscar as soluções para atendê-las da melhor forma possível. Algumas surgirão mais de imediato, outras levarão um tempo um pouco maior, mas temos que tentar nos antecipar ao máximo a elas. Este, na minha visão, é o nosso grande desafio."

 

A mediação do debate ficou a cargo do presidente da Associação Brasileira de Logística, Pedro Moreira, que concluiu:

"Ficamos muito contentes em receber estes convidados ilustres no segundo episódio da série 'Digitalização da Cadeia de Suprimentos', na qual o intuito é exatamente esse, debater sobre o que está sendo feito e quais práticas estão sendo adotadas neste sentido. Só temos que agradecer a parceria com a Informa e com a Intermodal neste projeto e em todos os outros que estamos desenvolvendo em conjunto. O próximo episódio da série, inclusive, já está marcado: será no dia 2 de julho, às 17 horas".

Fonte: portogente.com.br